abr 12 2018

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE TRAJANO DE MORAES ALERTA SOBRE A SÍNDROME MÃO-PÉ-BOCA

O município de Trajano de Moraes já tem casos registrados da doença “Mão-pé-boca” a conhecida DMPB. O problema causado por um vírus é contraído a partir do contato com fezes via oral, ou pela ingestão de alimentos contaminados. A Secretaria Municipal de Saúde do município, alerta sobre os cuidados que os pais devem tomar com as crianças, caso suspeitem da infecção.

De acordo com a Coordenadora de Saúde Básica – Michele Machado, a doença é contagiosa e, mesmo após o tratamento adequado, a pessoa pode transmitir o vírus através das fezes por até quatro semanas. “A pedido do prefeito Rodrigo Viana e da secretária municipal de Saúde Rosemara Magalhães, estamos alertando os pais para o caso. Os sintomas, em alguns casos, podem ser confundidos com um resfriado comum. Entre eles estão: febre alta, mal-estar, falta de apetite, diarréia, vômito e erupções nas vias orais”, explicou.

O tratamento é realizado à base de antitérmicos e anti-inflamatórios. Quando tratado adequadamente, o vírus se enfraquecerá com a ação dos medicamentos. Ao apresentar alguns dos sintomas citados, o responsável pelo menor deve procurar o posto de saúde mais próximo para que seja submetido ao tratamento indicado.

Michele lembra que para o caso exige algumas recomendações para se evitar a doença. “Entre elas estão cuidar da higiene pessoal, sempre lavar os alimentos consumidos e lavar as mãos quando tiver contato com algum paciente da doença. O vírus costuma contaminar na primeira semana, quando ainda está em um período de incubação, que leva de 3 a 7 dias. Não há vacina para a DMPB”, contou.

Normalmente, assim como ocorre com outras infecções virais, a doença tende a regredir de forma espontânea. “A melhor forma de evitar a doença é intensificar a higiene do seu filho. As pessoas contaminadas devem ficar em casa. Crianças não devem ir à creche ou à escola, e adultos devem faltar o trabalho até todos os sintomas terem desaparecidos”, relata a Coordenadora.

Como o vírus ainda pode ser eliminado nas fezes mesmo após a cura dos sintomas. “É importante orientar o paciente a lavar as mãos com frequência, principalmente após ir ao banheiro e antes de manusear comida. Roupas comuns e roupas de cama podem ser fontes de contágio (principalmente se houver secreção das lesões da pele) e devem ser trocadas e lavadas diariamente. Brinquedos também devem ser lavados com freqüência”, conclui.

Link permanente para este artigo: http://trajanodemoraes.rj.gov.br/secretaria-municipal-de-saude-de-trajano-de-moraes-alerta-sobre-a-sindrome-mao-pe-boca/